Bom, pra começo de conversa, já é bom deixar claro: estou cativado e este texto será confuso.

Não é qualquer dia que conhecemos uma mulher linda e que tenha um papo bom. Nem tampouco alguém que me cative de verdade. Mas isso aconteceu, e foi do nada.

Bom, eu já a tinha conhecido antes, mas não me lembrava, na época alguns fatores bloqueavam qualquer tipo de intimidade com qualquer mulher. Mas agora com minha Charlie Sheen’s Way Of Life de volta, isso não mais é problema.

Mas vamos logo para a parte legal da história. 

Estava eu conversando normalmente, como com qualquer outra. Eu gosto de conversar com as pessoas, e trato todas relativamente iguais, bem e dou atenção. Desta maneira, eu vou criando personagens em minha mente para prever como a pessoa reagiria de acordo com o que vou descobrindo com as conversas. Parece doentio, mas eu faço isso. Ela virou uma amiga, e uma ótima companhia, bem rápido, questão de pouquíssimos dias. Seu jeito e seu sorriso lindo facilitou, é claro, mas fiquei impressionado como me sentia bem conversando com alguém, eu sou bem reservado e demoro um tempo para me sentir a vontade com as pessoas. 

Bem, neste ponto da minha vida, estou resgatando antigas amizades e construindo novas. É o que coloquei na minha cabeça que faria. E com ela não foi diferente, nossa amizade sempre foi o que me interessou. Bem, era isso que eu pensava.

Mas aí eu cito o título deste texto/desabafo/encheção de saco de vocês, amigos leitores, a vida é surpreendente. Ela nos dá a falsa impressão de que tudo caminha bem, até que dá uma reviravolta e do nada está tudo diferente e você, perdido. Nem sempre essas reviravoltas são maléficas, essa em especial foi muito boa. 

Ela me cativou de um jeito único, estou a horas tentando colocar em palavras, mas desisto, não há descrição conceitual que explique. Mas quando estou com ela, é mais ou menos a felicidade que um gordinho como eu tem quando come bacon: plena.

Sabe quando você se sente leve, solto, bem com o momento, tudo mais? Fazia algum tempo que eu não sabia o que era isso. Mas agora eu sei, de novo, e mais uma vez, vou colocar minha cara a tapa e arriscar. Eu sempre jogo todas as minhas fichas, como vocês bem sabem.

Bom, provavelmente deve brotar mais um Bifurcações e alguns textos dessa história, e daí vocês entendem ela melhor (ou não).

Nada melhor que uma paixão desplanejada para curar um amor mal acabado.

P.S.: a alguns dias atrás eu reclamava que não acontecia nada em minha vida que despertasse essa ânsia por escrever novamente. E de repente, sorriso, abraço, carinho, conversa, Amanda.

Anúncios