O que havia antes do Big Bang?

Bem, não havia um antes. Porque antes do Big Bang o tempo não existia. O tempo é resultado da expansão do universo.

Mas o que acontece quando o universo pára de se expandir, e o movimento é reverso? Qual será o tempo natural?

Se a Teoria das Cordas está correta e o universo possui nove dimensões espaciais e uma dimensão temporal então podemos imaginar que no começo todas as dimensões estavam embaralhadas e, durante o Big Bang, três dimensões espaciais, as que conhecemos como alta, baixa e morte e uma dimensão temporal, que sabemos que é o tempo, implodiram. As outras seis permanecem juntas.

Se vivemos num universo com tantas dimensões, como podemos fazer a distinção entre ilusão e realidade?

O tempo, como conhecemos, é a dimensão que vivemos, em apenas uma direção.

Mas se as outras dimensões não forem espaciais, mas temporais? Porque a fumaça do cigarro não volta? Por que as moléculas se separam? Por que uma gota de tinta derramada nunca se reforma?

Porque o universo movimenta-se para um estágio de dissipação. Este é o princípio da entropia, a tendência do universo de desenvolver-se para um outro estado de crescente desordem. O princípio da entropia está relacionado com a flecha do tempo, resultado da expansão do universo.

Mas o que acontecerá quando forças gravitacionais não puderem equilibrar as forças de expansão? Ou se a energia do vazio quântico de provar muito fraca?

Nesse momento o universo pode enfrentar contrações, o “Big Crunch”.

Então, o que se tornaria o tempo? Tudo se reverteria?

Ninguém sabe a resposta.

 

O que quero dizer é: enquanto não tomamos a escolha, tudo é possível.

“Tudo poderia ter sido outra coisa, e seria um elemento igualmente importante”. Tennessee Williams.

No xadrez, chamamos de “enrascada” quando a única jogada certa é não se mexer.

 

E por um segundo tudo parou. E de repente, futuro e passado se tornaram passado e futuro. Crunch.

Anúncios