Todos queremos ser jovens. É atraente. É uma explosão de hormônios. É sexy. Saudável… bem, talvez não.
Mas, tem mais. Jovens representam novas linguagens e comportamentos. E eles estão influenciando diretamente os hábitos de consumo. Estão posicionados no topo da pirâmide de influência. E são aspiracionais para os novos e inoperacionais para os mais velhos. A geração jovem de hoje. Conhecida como Generation Y, G, We, Globalists, Digital Youth, Millenials, tanto faz. É a maior em números absolutos em uma perspectiva global. E têm um alto poder de compra, se comparado ao de seus pais quando eram jovens. É engraçado, porque esse importante papel da juventude atual, tem origem justamente na geração Baby Boomer. Eles nasceram depois da II Guerra Mundial, nos anos 40 e 50, inseguros e impacientes, eles causaram grandes mudanças. Eles foram a primeira geração a conquistar o direito de ser jovem, inventando o que ficou conhecido como Youth Lifestyle. Eles receberam as chaves de casa e a liberdade de ir e vir. Eles tomaram conta dos centros acadêmicos, grandes festivais e ruas. Por causa disso, eles foram chamados de Liberated Youth. Vendo de fora, pareciam meio loucos, mas o papo de paz e amor, sexo livre e “flower power”, continua influenciando o comportamento até hoje. E na verdade, tudo aquilo deve ter sido muito divertido.
E falando em diversão, nós não podermos esquecer da geração X. Nascidos nos anos 60 e 70, eles aproveitaram os direitos conquistados pelos Baby Boomers, vivendo uma busca por prazer sem culpas. “A vida passa muito rápido, se você não parar e olhar ao redor de vez em quando, você pode perdê-la”. Inconformados e entusiastas, eles levaram a novas grandes mudanças. Dentro de casa, eles eram os donos dos seus quartos e tomam conta de suas individualidades. Geração X é apaixonada por estereótipos. Influenciada pelo avanço do marketing e da publicidade. Tanto no universo corporativo, quanto no entretenimento, a geração X é lembrada como Competitive Youth. “Não é apenar um trabalho para ele, é uma guerra”. Mas agora é um jogo completamente diferente. Os jovens mudaram as regras novamente. Conhecidos como a primeira Global Youth, Millennials não só têm a chave de casa e do seu quarto, eles também conquistaram o mundo. Sim, acesso total! Determinadas pela internet, suas identidades transcendem o lugar de onde são.
Isso não está acontecendo por pura coincidência. O consumo global promove conexões estéticas e comportamentais com outros jovens ao redor do mundo. A internet está permitindo que conteúdo pessoal, ganhe dimensões estratosféricas, onde tudo pode ser remixado. Em poucos dias, o conteúdo pode ser transformado em memes globais na internet, também alcançando relevância fora da internet. Obviamente, tudo isso tem conseqüências. O excesso de informação e possibilidades está fazendo essa jovem geração ter ansiedade crônica. Está se tornando mais necessário que eles escolham os filtros certos para organizar suas experiências, com tanto conteúdo e pessoas em suas vidas. O medo de se sentirem perdidos na multidão, faz com que usem uma linguagem hiperbólica para se expressarem. Nem sempre é fácil entender o que os Millennials estão dizendo. Isso porque eles desenvolveram um modo não linear de pensar, que reflete exatamente a linguagem da internet onde uma infinidade de assuntos podem ser acompanhados ao mesmo tempo. Para esses Millennials é natural começar com uma coisa e terminar em outra. Mas não entre em pânico, tudo isso é orgânico. Hoje em dia é legal saber e ser várias coisas ao mesmo tempo. É muito diferente dos anos 80, quando os jovens tinham uma opinião bem radical sobre o poder dos grupos. Você era uma coisa ou outra. Nos anos 90 o poder das tribos já não era algo tão legal de se estar vinculado. Alguns começaram a se chamar de “normais”,  para transitar entre os diferentes grupos. Hoje, ser normal se tornou chato. E ao invés de neutralizar suas diferenças, se tornou legal expressá-las. É possível ser surfista, DJ, roqueiro, nerd, cinéfilo, designer ao mesmo tempo. Nós estamos falando da geração de jovens mais plural da história. É uma pluralidade que garante que os jovens possam, simultaneamente, reconhecer-se mesmo com suas diferenças pessoais. Sua nova e estendida rede social resultou em um maior número de relacionamentos pessoais efêmeros. Também é visível em seu trabalho, onde planos de carreira tradicionais e sistemas hierárquicos estão perdendo força. Cada vez mais eles querem unir trabalho com prazer. Mas isso não acontece pela busca de um lifestyle hedonista. O prazer acontece em breais programados. Os jovens Millennials são pragmáticos. Eles também são mais realistas. Seus grandes ídolos não são figuras totalmente idealizadas. Mas sim, pessoas comuns que realizam pequenos e possíveis sonhos, que não são utópicos. Eles são os rostos da nova economia, comandada por opine source e crowdsourcing. E iniciativas independentes que com o poder da internet podem ter um impacto imensurável. Essa consciência coletiva é o zeitgeist do futuro levando a um cenário de oportunidades. Mas não é fácil, o novo sempre intimida. Muitas coisas que não eram imediatamente entendidas no passado são hoje consideradas comportamento natural. Você pode entender e tomar parte, ou sentar-se confortavelmente e se acomodar. No final, ser jovem é sexo e divertido. Mas é muito mais que isso, vem com perguntas e grandes ambições.
Se você acha que já sabe bastante e está em paz com seu espaço no mundo, então parabéns! Você está oficialmente morto!
Mais do que nunca, para entender o mundo é preciso entender esses jovens, que são os catalisadores das grandes mudanças.
E há um bônus extra: entender a evolução do mundo é uma busca que pode nos manter jovens para sempre.

Box 1824

Anúncios