Half.: tô deprimido, agora.
Bernardo:
pq?
Half.:
não sei.
Bernardo:
:/
Bernardo:
maconha?
Half.:
antes fosse.
Half.:
‘parece cocaína mas, é só tristeza…’
Bernardo:
:/
Half.:
já estamos acostumados a não termos mais nem isso.
Bernardo:
deveria se acostumar novamente.
Bernardo:
tristeza é até legal
Half.:
acha?
Half.:
desde quando?
Bernardo:
haam
Bernardo:
desde que tristeza começou a ser frequente em minhas manhãs
Bernardo:
desde que terminei com a princess
Half.:
pois é.
Half.:
você terminou com alguém
Half.:
tem motivo.
Bernardo:
não
Bernardo:
ela terminou comigo
Bernardo:
ela teve motivos
Bernardo:
eu não.
Bernardo:
mas sim, motivos para tristeza, tive.
Bernardo:
vários.
Half.:
bobão.
Half.:
tua tristeza é tão exata e hoje o dia é tão bonito.
Bernardo:
ai
Bernardo:
odeio sentimentos exatos :/
Bernardo:
prefiro eles misturados
Bernardo:
sabe, quando você não sabe qual é dominante no momento.
Half.:
quando eles estão misturados, eu não sei o que tô sentindo.
Bernardo:
não sabe se rí, se chora, se se sente sozinho, ou não quer mesmo companhia…
Bernardo:
por isso é tão bom
Half.:
e quando não sei o que tô sentindo, eu fico ainda mais cabreiro.
Bernardo:
a eterna busca do sentimento primo, do que te sustenta
Half.:
hum..
Half.:
fico me perguntando
Half.:
quem de nós dois você tá querendo convencer.
Bernardo:
eu.
Bernardo:
sempre.
Half.:
imaginei que fosse.
Half.:
sabe o que?
Half.:
o insuportável na vida é que nada é insuportável.
Half.:
então, meu caro
Half.:
foda-se
Half.:
vai passar.

Anúncios