“O amor é o ridiculo da vida.
A gente procura nele uma pureza impossível,
Uma pureza que está sempre se pondo, indo embora.
A vida veio e me levou com ela.
Sorte é se abandonar e aceitar essa vaga idéia de paraíso
Que nos persegue, bonita e breve,
Como as borboletas
Que só vivem 24 horas.
Morrer não dói.”

Se alguém souber a autoria por favor me diga.

Anúncios